top of page

Claudio Conz comenta a Reforma Tributária no Papo de Varejo de julho


Concluído este mês de junho, com um patamar 5% inferior em relação às vendas de maio, o resultado das vendas do comércio de MatCons no primeiro semestre está 3% abaixo do mesmo período de 2022, confirmando minha previsão, realizada no início do ano, de que concluiríamos este período próximo de zero. Entretanto, a perspectiva para o segundo semestre permanece positiva, com crescimento das vendas.


E ainda há dados positivos! Por exemplo, o número total de moradias no Brasil que, segundo o Censo Demográfico que acabou de ser apresentado, cresceu de 67,5 milhões para 90,6 milhões, elevando nosso estoque potencial de reformas e ampliações em 34%.


Mas a questão mais importante nesta semana é mesmo a apresentação do texto da Reforma Tributária e sua ida a votação, a partir da terça-feira 04 de julho, exatamente como informado pelo Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira.


Já na semana passado, em 30 de junho último, o governador de SP, Tarcísio de Freitas, reuniu os líderes das bancadas dos Deputados Federais por SP, além das principais entidades representativas, para ouvir suas considerações sobre a Reforma Tributária. O consenso desta reunião é de que todos, sem exceção, querem esta reforma. Pela sua importância, entendem que está havendo açodamento - concordam que precisamos discutir mais alguns dos pontos a serem votados, principalmente aqueles que sequer foram apresentados como texto final.


Esse também é o consenso em toda a classe empresarial: ninguém será contra a reforma tributária.


Ainda neste evento, o renomado jurista Ives Gandra Martins iniciou uma apresentação dizendo que, por ser emenda à constituição, obrigatoriamente o projeto tem que passar por um prazo regimental que ainda não foi observado. Segundo ele, isto pode dar margem a muita judicialização do tema.


Os líderes das bancadas de deputados foram unânimes ao dizer que, até aquela data, ainda não haviam recebido o texto final e que, portanto, não conhecem o que será efetivamente proposto.


Este verdadeiro movimento, que tem apoio de outros 7 governadores, pretende contribuir com propostas que façam a Reforma Tributária ser a mais próxima das soluções que todos esperam. É bom que ninguém se espante que, caso o cenário não mude, a perspectiva é de continuarmos com o caos tributário atual, acrescido da transição da nova legislação, por alguns anos - e isso tem impacto brutal sobre os negócios!


Nossa Frente Parlamentar em Defesa do Comércio de Materiais para Construção está atenta e irá atuar de forma firme em defesa do nosso setor!


29 visualizações

Commenti


bottom of page